As coisas das quais fugimos e o paradoxo da inadequação

      Dia desses conversava com Maria e Vinni sobre os próximos posts do “eu fujo”, e enquanto cada um deles falava sobre os seus, pensei que nada me incomodava muito a ponto de me parecer uma “melancia na cabeça”.

      Só que aí me veio: afinal, o que vem a ser uma “melancia na cabeça”? Cada um tem a sua, oras! A hors concours pochete, que de tão gongada já nem é mais mencionada, deixou de me incomodar há alguns anos, quando vi Kylie usando lindamente em um clipe. Então agora posso dizer que, além daquelas meias invisíveis (que de fato deveriam ser invisíveis) dando um “oi” fora do tênis, acho que quase nada me incomoda muito.

      Peraí, mas não sou tão permissivo quanto pareço. Tudo bem que aceito que cada um use o que prefere, mas porque não fazer um esforcinho para se adequar à ocasião? Falo isso porque conheço pessoas que não vão a nenhuma (NENHUMA) solenidade na qual não possam usar a mesmas roupas que usam todos os dias, o que inclui eventos significativos para eles e seus próximos. Enfim…

      “É como se tivesse que abrir mão de mim mesmo”, argumentou um deles certa vez. E lembrei de todas as vezes que sofri do lado de dentro de um paletó, mas me diverti muito, em várias situações importantes. Em nenhuma delas me senti menos “Augusto” do que costumo me sentir de bermuda e camiseta. Afinal, para os menos preguiçosos, a sentença “passeio completo” permite boas possibilidades (como já falou Vinni no post sobre as gravatas).

      Para concluir, lembro que uma amiga minha resumiu tudo isso no que considero uma sábia expressão: “Quem convida você para algo, com certeza faz de tudo para que aquele momento seja o melhor possível. Não vejo nenhum problema em prestigiar a respectiva pessoa mostrando o melhor de mim”. Falou e disse

4 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Ana Clara
    jun 03, 2011 @ 17:33:33

    poxa, augusto, texto lindo. é o que tento colocar na cabeça sempre. não julgar as pessoas por seguirem ou não a moda, por se vestirem bem ou não. mas há também um limite. saber se adequar à ocasião independe de saber se vestir ou não, querer chamar atenção ou não. até porque, os hypezinhos que se vestem diferente, mesmo num casamento, sabem se vestir para a ocasião sem sair do seu estilo. dia desses conversava sobre isso com o IgorD, não é porque você tem seu próprio negócio [que era o caso que conversávamos] que vai para uma reunião importantissima de chinelo e bermuda.

    é preciso saber se adequar, porque no final quem faz feio é você, e não o dono da festa.

    beijos, e parabéns pelo blog, meninës!

    Responder

    • Vennícius Castro
      jun 03, 2011 @ 17:56:44

      Ana, ontem eu ouvi do Lula Rodrigues num daqueles podcasts ele dizendo: “Certo, você pode e se veste do jeito que você quiser. Até o dia que alguém chegar pra você e disser: Não, aqui você não entra.” – isso traduz muita coisa.

      p.s. e muito obrigado pelas dicas. Muito massa!

      Responder

  2. Priscila
    jun 03, 2011 @ 20:00:03

    Adequar seu estilo às ocasiões é um ótimo exercício.
    Adorei o post!

    Responder

  3. Dai
    jun 03, 2011 @ 22:18:56

    Eu gosto de texto é assim: curto, mas que fala tudo! (Nossos amados antropólogos estão longe disso, né?)
    Adorei a parte que diz “nem por isso me senti menos ‘Augusto’. Teu nome é apropriadíssimo.
    E, sobre o tema do post, se a pessoa não quer participar com tudo que isso significa, melhor que fique de fora mesmo.
    Adorei.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

@thalitaviana

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

@venniciuscastro

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Nós 4 team

rodape
%d blogueiros gostam disto: